Você está pronto para enriquecer?

Como não existem coincidências, ou seja nada nesse mundo acontece por acaso, um dia após ter publicado o último post “Vamos tornar o mundo um lugar melhor para se viver“, eu li o post “Você está pronto para enriquecer?” do Guilherme Lito, publicado no blog.lojadeconsultoria.com.br.

Eu o reproduzo aqui hoje e recomendo a leitura pois mostra o caminho para se atingir a felicidade, com toda a certeza. Então, por Guilherme Lito, Você está pronto para enriquecer?

Fato 1: 70% dos empreendedores brasileiros declaram falência em menos de 5 anos.

Fato 2: Você agora está pensando que é um dos 30% e que os coleguinhas ao lado é que terão que abrir outro negócio ou arranjar um emprego.

Fato 3: É difícil para caramba fazer dinheiro empreendendo, mesmo que sua empresa sobreviva, apesar de todas as planilhas de projeção financeira dizerem o oposto.

Mas e se você realmente for um dos 30%, der certo e ainda conseguir milhões com sua empresa. Ou seja, e se você faz parte de 0,01% dos empreendedores que de fato ficam ricos? Você está pronto para isso?

Um toque de realidade

Cansamos de ver (e falar mal de) jogadores de futebol que compram carros, jóias e apartamentos caríssimos, “sobem no salto alto” e, muitas vezes, acabam perdendo a alegria de jogar.

Muito se fala dos Big Brothers ou pessoas que foram sorteados na loteria sobre como eles, em 33% dos casos, voltam ao seu “nível social” (cá entre nós, péssima forma de descriminar quanta grana alguém tem) pouquíssimo tempo após ganharem a bolada de milhões.

Mas… E você? Quando for rico, fora presentear a LUZ com uma garrafinha de champagne (sugestão abaixo), o que mais fará com o dinheiro?

Somos educados a buscar o dinheiro, competimos que nem cavalos no dia a dia para sermos mais eficientes e entregarmos mais valor ao cliente, mas no final do dia a tendência é dizer “ah, mas o dinheiro não é o principal.” Calma aí cara pálida, isso não é exatamente o que a maioria está brigando diariamente para gerar?

O rico que sai comprando tudo é “fútil”, “não tem estrutura psicológica para ser rico” ou “não sabe dar valor ao que realmente importa na vida”. O rico que leva uma vida modesta e minimalista é estranho e quer fazer estilo.

Um paradoxo interessante, não? Essa dinâmica da sociedade com o dinheiro é incrível. Ou as pessoas amam ou odeiam. Ou o dinheiro é religião, ou é praga. Na minha opinião essa discussão é tão válida quanto a do sexo dos anjos.

Vamos redefinir riqueza

O dinheiro é apenas uma pequena parcela da riqueza, portanto a discussão desse tema é bem mais abrangente. Em um controverso, superficial, egoísta, motivacional e genial livro chamado “The 4-Hour Work Week: escape 9-5, live anywhere and join the new rich” (A semana de quatro horas de trabalho: escape do trabalho de 9 às 5, more em qualquer lugar e se junte aos novos ricos), Tim Ferris redefine a riqueza e faz uma divisão interessante entre o velho e o novo rico.

Em suas palavras: “Gold is Getting Old” (o ouro está ficando velho)

Enquanto a atual definição está pautada em acúmulo de recursos (em linguagem popular: conta gorda no banco), o novo rico, segundo Tim, é o cara que tem o máximo de tempo e mobilidade possível, e dinheiro o bastante para se sustentar e usufruir de forma responsável desse tempo e espaço. Carro? Casa? Helicóptero? Para quê? Como diria aquele comercial: “o que faz você feliz?” Isso é riqueza.

Para você entender o que quero dizer, imagina o seguinte:

1. Ele trabalha 4 horas por semana e se sustenta

2. Já foi campeão mundial de Tango

3. Já foi campeão mundial de kickboxing

4. Está no guinness com mais de um prêmio

5. Já rodou o mundo todo, escreveu 2 livros, é palestrante, etc, etc ,etc…

Olhe o trailer do seu novo livro aqui para ter uma ideia do que esse louco é capaz!

Isso sim é ser o novo rico!!

Buscar a riqueza financeira muitas vezes lhe tornará mais pobre, já que você está abrindo mão de família, saúde, felicidade, crescimento pessoal e muitas vezes profissional, entre outros, em busca de um númerozinho maior na conta do banco. Sinceramente, acho que muitas vezes seria interessante pagar para não trabalhar. Lembre-se: o trabalho é (1) uma forma de você fazer uma grande diferença no mundo, (2) um lugar de aprendizado e (3) o que lhe gera renda para viver a vida que tem e vislumbra. Levando em consideração todas essas dimensões e a vida extra-trabalho, o dinheiro no final é apenas um detalhe.

Você está pronto para enriquecer?

Voltando ao ponto inicial e agora levando em consideração a nova definição de riqueza, o caminho que você está traçando lhe trará riqueza? Sua trajetória está te levando a ser uma pessoa que vive por conta do dinheiro ou que utiliza dessa ferramenta para desfrutar de um estilo de vida?

Em última instância, antes de perguntar se você está pronto para enriquecer, pergunte-se: você está no caminho do enriquecimento?

Conclusão

Quando você pensar em quanto quer ficar rico, defina antes o que é riqueza para você, e cuidado porque dinheiro vicia tanto quanto qualquer outra droga como álcool ou cocaína mas apresenta uma armadilha perigosa: está alinhado com os valores da nossa sociedade. Ou seja, quanto mais viciado você for em dinheiro, quanto mais você ganhar e correr atrás, mais esse esforço será recompensado e mais olhos brilharão no choppinho entre amigos. A questão é pensar o que isso, de fato, está te trazendo.

Um resumo dos pontos abordados:

1. Quando você pensar no seu futuro, pense no que realmente importa e não apenas grana. Como vocês empreendedores sabem, a definição de uma meta afeta MUITO no resultado final, e posso dizer por experiência própria que na maioria dos casos, nós miramos nos objetivos errados e é por isso que as coisas dão errado. Mirar em ter $ 50 milhões no banco, na minha opinião, é uma das coisas mais ingênuas que uma pessoa pode fazer. Isso não leva em consideração nada que realmente importa para sua vida ou sociedade.

2. Pouquíssimas coisas na vida são 0 ou 1, sim ou não, branco ou preto, portanto saiba equilibrar a importância do dinheiro na sua vida. Não é saudável odiá-lo nem amá-lo. Nas palavras do Antonio de Julio, do dinheirama, ele “é apenas um papel pintado, criado pelo homem, para ajudar na troca de bens, serviços e mercadorias” nada mais…

3. Se você de fato ganhou uma bolada, parabéns! Se conseguiu isso com seu próprio esforço e gerou benefícios, melhor ainda! Seus grandes desafios, na minha opinião, serão: (1) não entrar em discussões inúteis como “será que eu merecia isso tudo?”, porque isso não leva a nada e (2) fazer bom uso dele, levando em consideração o ambiente externo (mais de 80% da população da terra ganha menos de $ 10 por dia) e interna (o que o dinheiro te possibilita fazer hoje que antigamente seria inviável e de fato vale a pena).

E aí, concorda que temos que redefinir a forma como vemos o que é ser bem sucedido ou não? Qual sua filosofia sobre balanço vida-trabalho? Me ajudem porque estou nessa saga também!

Obs: como já disse por aqui antes, acredito que quanto mais você busca dinheiro, menos chance tem de conseguí-lo, portanto fica aí mais um motivo para não se mirar tanto nele.

Vamos enriquecer nossas mentes, corpo, o próximo e depois as nossas contas do banco! Boa sorte a todos!! Abraços!

________

E você? Deseja conhecer pessoas ricas e cujo trabalho é ensinar àqueles que desejam como enriquecer também? Se é o seu caso faça contato comentando aqui ou mande-me um email: raul@muitasaude.com.

Saúde e suce$$o!