As gorduras que não te engordam

As gorduras que não te engordam

 

Algumas pessoas ficam tensas só de ouvir a palavra “gordura”.

As gorduras, assim como os carboidratos, as fibras e as proteínas, são macronutrientes responsáveis pela quase totalidade dos processos metabólicos dos nossos organismos.

imageVocê sabia que o cérebro é constituído basicamente de gordura?

Muitas pessoas, por falta de informação de qualidade, consideram este macronutriente um dos grandes vilões da vida saudável. Mas cedem às tentações e acabam ingerindo comidas gordurosas que, de fato, não são tão boas assim.

Mas a gordura é essencial para um corpo saudável. Ela armazena energia para o corpo, ajuda no bom funcionamento do coração, cérebro e articulações e atua na função imunológica.

Ou seja, existem aspectos positivos da gordura que costumam ficar escondidos por causa das informações equivocadas da chamada indústria da dieta.

Muita calma nessa hora! Não estamos lhe dando passe livre para comer tudo que é gorduroso e engordar em nome da beleza e da saúde.

O que vamos esclarecer é que que existem propriedades ótimas da gordura que são capazes de beneficiar, não somente o visual, mas também a saúde como um todo, melhorando o desempenho físico e também as capacidades mentais.

Se você ainda não cadastrou seu email, acesse abaixo e receba gratuitamente nossas newsletters periódicas.

imageDuvida?

Continue acompanhando que hoje vamos falar das gorduras do bem e dos alimentos que as contém.

Um verdadeiro tabu

imageParece que quase todo mundo gosta de nozes, castanhas, macadâmia e amêndoas. Mas existe um verdadeiro tabu de que são gordurosas, engordam, fazem mal à saúde e, portanto, devem ser evitadas a todo custo. Acabam ficando condenadas a enfeitar as mesas preparadas para as ceias de Natal e Ano Novo.

Hoje em dia, a mídia patrocinada pela indústria das dietas vem se aproveitando da maior disponibilidade de informação sobre problemas e doenças derivadas da má nutrição. Aproveitam também da maior divulgação dos índices de sobrepeso e obesidade das populações, divulgados pelos governos, para nos aterrorizar e vender remédios e inibidores de apetite.

Veja como chega a ser óbvio: Se todo mundo vive dizendo que gordura faz mal, se os produtos alimentícios, inclusive, para receberem o rótulo de saudáveis precisam ter “0% de gordura”, então, sabendo do alto teor gorduroso das castanhas, nozes, etc e tal, as pessoas acabam acreditando que esses alimentos são inimigos do peso saudável.

Especialistas e cientistas de renome internacional defendem a tese de que as amêndoas, castanhas e nozes são aliados da beleza e do bom desempenho físico, e ainda assim muita gente acha que estes alimentos fazem parte da categoria “é bom e gostoso mas faz mal à saúde”.

Mas o tabu é quebrado quando compreendemos que existem vários tipos de gordura. Na verdade, as vilãs são a gorduras trans e a insaturada.

Agora, a gordura das castanhas, leitor(a) amigo(a), é uma bênção!

A ingestão constante desses alimentos traz efeitos benéficos para a beleza, e vai muito além. Pesquisas importantes, como a publicada no periódico científico American Journal of Epidemiology, comprovam que alimentos com este tipo de gordura são verdadeiros fortificantes do cérebro, previnem a demência e melhoram a concentração.

A grande concentração de vitamina E, A e C, além do selênio, também faz com que sejam ótimos para as articulações e para proteger o corpo de um processo típico do envelhecimento, que é a oxidação.

Mas é necessário chamar a atenção para dois pontos muito importantes:

1) Todo tipo de exagero é prejudicial

Até mesmo o exagero de coisas boas pode torná-las ruins. O exagero de remédios pode causar problemas sérios, o exagero de exercícios pode prejudicar a pessoa.

A porção de castanhas a ser ingerida não deve ser exagerada, pois mesmo as “gorduras do bem” são calóricas e em excesso podem atrapalhar o seu programa de controle de peso.

A sugestão é de uma mão cheia, o que equivale a cerca de 80g mais ou menos.

2)  Evite as castanhas que já vem com sal adicionado

O sal contém sódio, que sabidamente provoca problemas com a pressão arterial entre outros males. É a gente já ingere, no nosso dia-a-dia, quantidades de sódio acima dos níveis recomendamos, pois está presente em grande parte dos alimentos.

Opte sempre por alimentos o mais natural possível.

Alertas dados. Lembre-se que quem avisa, amigo é.

A) Faça ingestão de castanhas como um lanchinho, entre as refeições principais. Elas ampliam a sensação de saciedade e ajudam a evitar que você vá para a mesa querendo comer o boi inteiro.

Você pode substituir o café por uma porção de castanhas, naqueles momentos em que precisa de uma dose extra de atenção, como à noite quando tem que terminar algum trabalho, por exemplo. Diferente do café elas não vão atrapalhar você a dormíeis depois de terminar o trabalho.

O efeito oxidativo das castanhas é o que dá esta sensação de cérebro ligado e pode ser uma boa opção também para aqueles dias em que estamos mais sonolentos.

B) Lembra que falei lá atrás que as gorduras do bem são boas para juntas e coração?

Isso ocorre especialmente por causa do magnésio e do ômega 3 existentes nas castanhas, especialmente na castanha do Pará, tão abundante no nosso País.

Essas substâncias diminuem a inflamação do corpo e melhoram a performance dos músculos e, por isso, são tão indicadas para os atletas e também para os sedentários.

Na verdade, a suplementação de Ômega 3 é recomendada por 10 entre cada 10 profissionais de saúde competentes!

E por falar em coração, é possível que você já saiba o que é o HDL, conhecido como o colesterol bom.

Pois bem, as propriedades terapêuticas destes preciosos alimentos também contemplam a quantidade ideal de HDL no corpo.

Além disso, como freiam o processo de oxidação (oxidar é como enferrujar), as castanhas também expulsam os radicais livres do organismo. Os radicais livres é que são os verdadeiros vilões, porque são os “lixos” que as células não conseguem jogar fora.

O acúmulo de radicais livres faz com que a gente adoeça, comprometendo o sistema cardiovascular e também desencadeando o câncer.

Além disso, ouvimos e lemos muito sobre a relação dos radicais livres com o envelhecimento precoce, especialmente na vida dos atletas, certo?

E, mesmo que você não seja esportista, tenho certeza que não tem pressa de envelhecer …

Coma devagar, sentindo os sabores. Não exagere, coma uma quantidade que não comprometa as refeições principais.

E coma sem culpa: as gorduras do bem não podem ser excluídas de maneira alguma do nosso cardápio, nem para quem deseja emagrecer. Elas também ajudam na digestão mais rápida dos alimentos e em um metabolismo mais eficiente e mais saudável.

Em outro momento vamos falar do abacate e dos azeites, presentes na chamada dieta mediterrânea. Mas isso é assunto para outro texto. Fique ligado e leia todas as nossas newsletters.